terça-feira, 18 de agosto de 2015

Anilina na agua




Algumas gotinhas de anilina na água ...
  E o olhar atento das crianças. A cor que vai se misturando, criando movimento, desenhos na água com várias tonalidades, ora claro, ora turvo. No seu tempo, pois leva um tempo. Mas quanto tempo? E se mexer?





A Ellen tentou timidamente

Luiz na segunda cor não teve dúvidas, 
balançou a água e o movimento da cor foi mais intenso




A tinta estava pronta



O desafio era como usar uma tinta

Com uma consistência tão diferente das usadas normalmente 


A tonalidade da cor mudou no papel 



Quando secou o Gabriel sugeriu:
_Vamos fazer avião?



quarta-feira, 15 de julho de 2015

Caixas e carvão

Penduramos algumas caixas de papelão no parque encapadas com papel branco e oferecemos às crianças carvão para desenharem. Foi uma experiência interessante, tentar desenhar com as caixas balançando, além de poder rodopiá-las, trocar de lugar com os amigos, perceber as texturas e a força que tinham que empregar para poder riscá-las.
Essa experiência foi  idealizada pela nossa colega Professora Roseli Mariano.

Caixas penduradas



As crianças usaram carvão para desenhar













domingo, 5 de julho de 2015

Pintura e colagem com folhas

As crianças coletaram no parque folhas caídas no chão. Usamos as folhas colando na cartolina e depois passando tinta. Pensei em pedir para que pintassem somente as folhas, porém antes disso as crianças tomaram a iniciativa e cada uma se expressou de uma maneira impressionante: algumas evitaram pintar as folhas coladas e passaram tinta em volta delas; outras fizeram propositalmente (o que me impressionou mesmo) cores especiais para as folhas e outras as ignoraram e passaram tinta em cima de tudo. Os resultados foram arte pura!!!



















quinta-feira, 25 de junho de 2015

Colagens com elementos naturais coletados no parque

 As crianças foram convidadas a pesquisar o que viam pelo parque, como folhas, pedras, gravetos, areia, terra. Pedimos para que coletassem o que achassem interessante e colocassem em uma folha de cartolina. O que percebemos foi seu interesse maior em ver a terra e a cola e os efeitos e texturas que essa mistura causou, não importando o resultado final mas o processo, tanto é que muitas folhas tiveram que ser descartadas pois não havia como guardá-las tamanha intensidade. Foi uma experiência rica, que propiciou a exploração daqueles elementos em outro contexto.


A textura da cola por cima da terra
 









A textura na mão da terra e da cola







Desafio de colar folhas e terra



Camadas



Pesquisando com os amigos

Gostaram de sentir a "meleca" que fizeram.


Pietro e Miguel - 4 anos

Yago - 4 anos

Lorena - 4 anos

Ana Clara- 4 anos